terça-feira, 23 de maio de 2017

Bas Dost é ainda melhor do que todos pensámos...

...visto que pudemos descobrir, a partir da capa do Record, que ele é candidato à Bola de Ouro.
Mais um bocado de investigação jornalística e, quem sabe, descobria-se que o Fortino é candidato ao Nobel da Química, ou coisa do género.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Vicente Moura e Gala Honoris: o que ninguém disse

Há uma coisa acerca da demissão de Vicente Moura e sobre a Gala Honoris que ninguém disse...

...ninguém quer saber disso para nada.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Os nossos alas VS Os dos rivais

Fui ao whoscored.com comparar os rendimentos dos alas, apenas em termos de golos e assistências.
Há jogadores que jogam em várias posições. Felizmente, tem lá maneira de discriminar o rendimento por posição.
Apenas tive em conta a Liga NOS (faltando uma jornada).
Só estou a comparar em termos de golos e assistências, não estou a dizer que jogador X é melhor que jogador Y (aliás, tecnicamente nem sequer estou a dizer nada, visto que só estou a recolher uns dados estatísticos, alheios a qualquer opinião ou convicção minha).
Sei que contribuição defensiva, movimentação, capacidade de decisão e essas coisas todas são importantes para as posições em causa, mas não estou a ver isso.
Outra nota é que 2 jogadores poderão eventualmente ter contribuído para o mesmo golo.
Finalmente, só dizer que, de acordo com a tabela classificativa, não estamos muito diferentes dos nossos rivais em termos ofensivos (eles vão com 70 e nós com 64), é defensivamente que se nota um enorme declive (eles com 16, e nós com 35), portanto, não espero grande diferença para os rivais nestes dados que recolhi.

Laterais

(valores são a contribuição para golos; A = Assistência, G = Golo)

Sporting

Marvin: 2 (2A + 0G)
Jefferson: 1 (1A + 0G)
Schelotto: 5 (5A + 0G)
João Pereira: 1 (1A + 0G)

Total: 9 golos

SLB

Grimaldo: 5 (3A + 2G)
Nelsinho: 7 (6A + 1G)
Eliseu: 2 (2A + 0G)
André Almeida: 1 (0A + 1G)

Total: 15 golos

FCP

Alex Telles: 9 (8A + 1G)
Maxi: 3 (2A + 1G)
Layún: 4 (3A + 1G)

Total: 16 golos

Ala Direito


Sporting

João Mário: 1 (1A + 0G)
Gélson: 14 (8A + 6G)

Total: 15 golos

SLB

Pizzi: 1 (1A + 0G)
Salvio: 8 (5A + 3G)
Zivkovic: 1 (1A + 0G)
Rafa: 2 (1A + 1G)
Carrillo: 2 (1A + 1G)

Total: 14 golos

FCP

Corona: 8 (5A + 3G)
Otávio: 2 (1A + 1G)
André Silva: 2 (0A + 2G)

Total: 12 golos

Ala Esquerdo

Sporting

Joel Campbell: 5 (3A + 2G)
Bryan: 4 (3A + 1G)
Bruno César: 7 (3A + 4G)
Matheus: 1 (1A)

total: 17 golos

SLB

Pizzi: 3 (1A + 2G)
Zivkovic: 1 (1A + 0G)
Cervi: 3 (2A + 1G)
Rafa: 2 (2A + 0G)
Carrillo: 1 (1A + 0G)

Total: 10 golos

FCP

Brahimi: 9 (3A + 6G)
Oliver: 1 (0A + 1G)
Jota: 3 (2A + 1G)
Otávio: 2 (2A + 0G)

Total: 14 golos

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Aliámo-nos a uma nádega?

...a única maneira disto ser positivo é se o propósito destes encontros for para o departamento de comunicação do FCP dar um workshop/curso intensivo ao nosso departamento de comunicação.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Tanto alarido por causa do Belenenses?

Perdemos com o Belenenses.
Foi mau.

Mas será um sinal irreversível de que tudo tem que mudar?
A meu ver, se quisermos mudar de treinador, seria igual fazê-lo no sábado ou no domingo, independentemente desta derrota.

Fizemos uma péssima época, perdemos com o Legia, perdemos com o Rio Ave, perdemos com o Setúbal e perdemos com o Chaves. É agora que lutamos por nada que há tanta turbulência por causa de uma derrota?

Compreenderia caso estivéssemos numa série de derrotas e maus resultados. Mas isso não é verdade.

Vamos por partes:

1)

Havia contestação pela altura do Inverno, quando fomos afastados de várias competições. A equipa estava em estilhaços, o futebol era fraco, a época ficara perdida.
Após o jogo com o FCP, que nos afastou definitivamente do título, só nos restava cumprir calendário. Foi aí que estabilizámos.
Desde o jogo do FCP, fizemos 12 jogos. Empatámos 2 (Vitória e SLB em casa) e perdemos este.
No mesmo período, o SLB empatou 3 jogos (fez mais um ponto que nós) e o FCP empatou 5 (fez menos cinco pontos que nós).

Visto isto, não me parece que seja uma derrota no meio de uma série de 12 jogos que defina que algo tenha que mudar drasticamente, como aconteceu.

2)

Principalmente se tivermos em conta que é consensual que a nossa equipa não tem qualidade suficiente para lutar pelo título. Tem muitos sectores mal servidos, como já todos debatemos inúmeras vezes, e ainda para mais estávamos privados de 3 ou 4 jogadores habitualmente titulares. Não me parece descabido - ainda que seja sempre lamentável - que uma equipa sem qualidade para lutar pelo título, que esteja desprovida de alguns jogadores, perca um jogo em 12.

Temo que o efeito desolador que uma derrota fortuita tem tido sobre o universo do clube possa causar um desconforto na equipa, impedindo-nos de ganhar os próximos jogos.

3)

Parece-me, também, que o que não estamos tão distantes da competência como têm pintado.

Eu explico:

Perdemos imensos pontos.

Enumerando:
Rio Ave - 3
Guimarães - 2
Tondela - 2
Nacional - 2
Benfica - 3
Braga - 3
Chaves - 2
Marítimo - 2
Porto - 3
Guimarães - 2
Benfica - 2
Belenenses - 3

Como muito se fala, estamos mal servidos em ambas as laterais, na ala esquerda, e tivemos fora de forma guarda redes, central, médio centro e segundo avançado (este resolvido com a "segunda vinda" de Alan Ruiz, e mesmo com a intrusão de Podence).
Isto são 6 ou 7 posições em 11 que estão mal servidas.

Vou propor que tínhamos ido buscar um "Nani" qualquer (vá, era o Markovic ter dado, que era algo que quase todos esperavam que acontecesse) e um lateral esquerdo competente.
Em quantos destes jogos não teríamos perdido pontos? Digamos que um lateral melhor evitava sofrermos golos em 2 destes jogos (as culpas de muitos dos golos que sofremos nestes jogos foram atribuídos aos laterais). E que um extremo esquerdo competente teria dado uma assistência e um golito em 2 outros jogos.

Até agora o que estou a propor é muito descabido? Não? Óptimo.

Nesta suposição, portanto, não perderíamos pontos em 4 desses jogos, nem falo em derrotas, falo em empates, para nivelar por baixo e facilitar.
Estou a falar em jogos com o Nacional, Chaves, Guimarães (vencendo por 0-3), e Tondela.

Mais uma vez, não estou a propor nada descabido; apenas que tendo 2 melhores jogadores, e propondo que tivessem feito a diferença em 2 jogos cada um, que tivéssemos ganho estes 4 jogos de dificuldade reduzida.


Ganharíamos, com isso, 8 pontos.
Com mais 8 pontos estaríamos a lutar pelo título. Entraríamos neste jogo com o Belenenses em igualdade pontual com o SLB. E não contei sequer em não termos tido quebras emocionais face a alguns desses resultados, o que terá levado a uma depressão de exibições (aqui para mim o maior problema do JJ esta época, não ter conseguido recuperar os jogadores animicamente).
E por pouca diferença em relação à equipa que temos.

Portanto, estou aqui a defender que nós mantendo o que temos, e melhorando 4 ou 5 sectores, que não é nada improvável - dificilmente Patrício fará uma época tão má como a que fez, está-se já a observar 2 laterais, e certamente que se irá investir num jogador para o ataque - teremos todas as possibilidades de fazer melhor do que esta época. Ou melhor: teremos todas as possibilidades de fazer uma época de jeito, porque "melhor do que esta época" não é difícil.

Há é que não esquecer algo que ser sportinguista nos ensinou várias vezes: pode sempre (sempre!) ser pior.

E a história mostrou-nos que as coisas pioraram para nós sempre que a emoção tomou conta da razão nas decisões que tomámos.

Portanto apelo a termos calma, são só mais 2 jogos e a depressão acaba, vamos atacar a próxima época já com a experiência adquirida dos erros que cometemos esta época.
Porque se for para "queimar tudo e recomeçar de novo", só vamos voltar a cometer os mesmos erros eventualmente, estando o nosso sucesso dependente do acaso.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

À vista de todos a diferença de tratamentos

Há uma clara diferença de tratamento entre determinados clubes quando se trata dos outros e quando se trata do Sporting.

Refiro-me, claro, ao SC Braga, que vai de Peseiro e de Jorge Simão contra toda a gente, apenas para chegar ao jogo contra o Sporting e mudar para o Abel.
Isto é tudo feito às claras!

quinta-feira, 20 de abril de 2017

O que fazem os tipos que trabalham na FPF?

Fala-se por todo o lado:
"queixas do clube X valem processo ao clube Y".
Foi o Slimani, foi o Samaris, foi o Jogo Duplo, foi o Farense, é o Samaris de novo, é o Gauld e o Geraldes...

Como se sabe, a normal reacção é dizer-se que os processos contra o clube do qual somos adeptos é "queixinhas" e "deviam meter-se nas vossas vidas", e que os processos que são levantados pelos nossos clubes contra os outros "têm que conhecer uma punição, caso contrário é uma vergonha", como aliás, é vergonhoso que demore tanto.

A questão que eu aqui coloco não tem a ver com isso.
A questão que coloco é...por que têm os clubes que queixar-se para haver processos?

Isto é, a federação ou a liga, ou lá qual é a entidade competente, presumivelmente terá tipos a trabalhar lá 8 horas por dia, e a receber ordenados, certo?
O que fazem eles? Não podem ser eles a ver os casos de todos os fins de semana e, sempre que haja uma agressão impune, instaurem 1 ou 2 jogos de castigo e está feito? Ou colocar num excel que jogadores estão inscritos, e actualizar as fichas de jogo todos os fins de semana?
Imagino que haja dezenas de milhares de pessoas dispostas a ter esse trabalho pelo ordenado mínimo.
Aliás, imagino até que seja possível treinar-se um chimpanzé para se fazer isso.

PS:
a título de curiosidade, visto que pouco se falou disto:
Nestas confusões do Geraldes e Gauld poderem ou não ser inscritos por outros clubes, houve também o caso Spalvis, que esteve para ir para o Belenenses.
O Belenenses teve o Rosell, o Domingos Duarte e o Palhinha. O Sporting resgatou o Palhinha em Janeiro. O Belenenses estaria interessado no empréstimo de Spalvis.
Só que a liga (ou a fpf, nunca sei qual) criou uma regra que diz que um clube só pode ter 3 jogadores emprestados. Só que os regulamentos não são claros se os 3 jogadores são ao longo de uma época (ou seja só se pode emprestar 3 jogadores por época) ou se são contado em simultâneo (ou seja, se só se pode ter 3 jogadores emprestados de cada vez).
Enviaram um esclarecimento à liga...e a liga respondeu que não sabia (isto não foi no dia de fecho do mercado).